A Organização das Voluntárias de Goiás (OVG) é uma entidade sem fins lucrativos que proporciona dignidade e respeito ao investir na cidadania por meio de programas sociais. O trabalho, realizado em parceria com o Governo do Estado, prefeituras municipais e instituições da sociedade civil, beneficia diversos segmentos da população, como crianças, adolescentes, estudantes, gestantes, dependentes químicos, vítimas de queimaduras e famílias em situação de vulnerabilidade social de todos os 246 municípios goianos.

A OVG realiza mais de 3 milhões de atendimentos por ano. Para ampliar o alcance de suas ações, valoriza as parcerias e investe no fortalecimento do trabalho voluntário. Por conta de sua trajetória de atuação no enfrentamento às desproteções sociais, a instituição se tornou referência na área da assistência social em Goiás.
Como tudo começou
A OVG surgiu por iniciativa de um grupo de mulheres ligadas à Igreja Católica e foi fundada em 30 de outubro de 1947, por Ambrosina Coimbra Bueno, esposa do então governador de Goiás, Jerônymo Coimbra Bueno. No início, o trabalho da instituição concentrava-se na fabricação e doação de enxovais para bebê, roupas de cama e uniformes escolares. Com máquinas emprestadas pelas próprias voluntárias, a oficina de costura funcionava na Rua 19, Centro de Goiânia, no extinto salão da Paróquia Nossa Senhora Auxiliadora.

Em 1966, o presidente da entidade era o representante legal da Igreja Católica, Dom Antônio Ribeiro de Oliveira. Quando os trabalhos ganharam força, o controle da instituição foi transferido para a então primeira-dama do Estado, Marilda Fontoura Siqueira, esposa do governador Otávio Lage de Siqueira.

Na década de 70, a Organização passou a funcionar na sua primeira sede própria e deixou de ser eminentemente de caráter voluntário, passando a contar com funcionários remunerados. Em 2005, ganhou caráter de Organização Social, sem fins lucrativos, se tornado referência no cuidado às famílias goianas.
Presidente de honra
Maria das Graças de Carvalho Caiado, conhecida como Gracinha Caiado, é esposa do governador Ronaldo Caiado, com quem tem duas filhas, Maria e Marcela. Baiana de Feira de Santana, cidade a 116 km de Salvador, é advogada, formada pela Universidade Federal da Bahia.

Gracinha Caiado é também produtora rural – área na qual tem forte atuação política. Desde muito jovem, militou em favor da causa agropecuária e chegou a ser diretora da União Democrática Ruralista (UDR) da Bahia, uma das principais entidades brasileiras na defesa das causas do campo. Foi em uma reunião da UDR, em 1986, que Gracinha e Ronaldo Caiado se conheceram. Os dois se casaram em 1990.

Além de presidente de honra da Organização das Voluntárias de Goiás, é também coordenadora do Gabinete de Políticas Sociais -- responsável por desenvolver ações estratégicas, de forma integrada, para combater os vários níveis de carências da sociedade.
Diretoria

Diretora Geral
Adryanna Melo Caiado
Diretora de Ações Sociais
Jeane de Cássia Dias Abdala Maia

Diretor Administrativo e Financeiro
Thomas Marcelo e Silva

Diretora de Programas Especiais
Rúbia Erika Prado Cardoso